Estou apaixonado pelos momentos inesperadamente profundos da vilã que o tornam imperdível

Resumo

  • Estou apaixonado pela vilã oferece uma reviravolta única no enredo exagerado de isekai, graças a uma protagonista lésbica que fica presa em um jogo sim de namoro heterossexual.
  • A série isekai pode ter começado com tropos preocupantes, mas surpreende agradavelmente os espectadores com sua protagonista bem desenvolvida, Rae, que respeita os limites de sua paixão, Claire.
  • Este anime representa a comunidade LGBTQ+ de uma forma rara e importante através do seu foco nas duras verdades da sexualidade, ao mesmo tempo que permite a autodescoberta de uma forma respeitosa e saudável.


Muitas séries de anime memoráveis ​​fizeram estreias fortes durante a temporada de outono de 2023, mas Estou apaixonado pela vilã é conteúdo de primeira linha que passou completamente despercebido. Estou apaixonado pela vilã definitivamente empalidece em comparação com Frieren: além do fim da jornada quando se trata de enredo e desenvolvimento de personagens. Também carece do grande sucesso e popularidade de gêneros de fantasia semelhantes, como A Ascensão do Herói do Escudo. Enquanto isso, Estou apaixonado pela vilã funciona como uma encorajadora série de fantasia Girls Love que tem muito a oferecer para quem dá uma chance. Estou apaixonado pela vilã reconhecidamente tem uma superfície superficial de tropos exagerados e desastrosos, mas evolui para um tipo diferente de história romântica que adiciona uma reviravolta inesperada que subverte habilmente seus estereótipos inicialmente desleixados.

Estou apaixonado pela vilãO enredo parece bastante familiar no início, mas há uma reviravolta interessante que ajuda o anime a se reinventar e a evitar as expectativas iniciais. A protagonista é uma trabalhadora de escritório comum apaixonada por jogos que de repente se vê presa em seu jogo otome de fantasia favorito, “Revolution”, sob o nome de Rae Taylor. Em vez de aproveitar a oportunidade para namorar seu príncipe favorito, um dos três protagonistas masculinos, Rae confessa seu amor pela vilã do jogo, Claire François. Rae pode inicialmente parecer qualquer outra romântica apaixonada e sincera, mas na realidade, ela é uma pessoa única, movida por uma motivação revigorante e uma história de fundo que faz sua jornada valer a pena. Estou apaixonado pela vilã é um anime que requer um pouco de paciência, mas esta série lenta tem momentos importantes que fazem valer a pena assistir.

Relacionado

Estou apaixonado pela vilã Light Novel merece um anime – aqui está o porquê

Estou apaixonado pela vilã é uma série de novelas leves cuja abordagem única de isekai rapidamente lhe rendeu uma adaptação para mangá. Mas onde está o anime?


Um novo significado por trás de uma configuração exagerada

Relacionado

Eu sou a vilã que acaba de construir seu triângulo amoroso mais intenso com outro protagonista

A ex-protagonista Selena Gilbert está ficando muito próxima do lorde demônio Claude. No entanto, Aileen não pode se dar ao luxo de estragar seu disfarce para confrontar Selena.

A estrutura básica do enredo isekai do anime, mais do que qualquer outro subgênero, foi destruída. Qualquer nova série isekai deve ter algo original ou o toque mais envolvente para ajudá-la a se destacar entre seus inúmeros pares. A grande reviravolta Estou apaixonado pela vilã é que ele assina o gênero Girls Love, ou “GL”. A ideia central de uma personagem lésbica que está presa em um simulador de namoro projetado para pessoas que se identificam como heterossexuais é certamente única. Isso foi o suficiente para atrair um grande público de mais de 50.000 fãs, de acordo com MyAnimeList. Infelizmente, as séries GL ainda não são tão populares quanto as séries Boys Love, ou “BL”, e certamente não são tão populares quanto as narrativas de romance direto. A estreia do anime, apesar das boas intenções, enfrentou muitas críticas desde o seu início.

Não só é Estou apaixonado pela vilã outra série isekai em um vasto oceano de anime isekai, mas também apresenta cenas que atendem a tropos nocivos de predadores gays que se entregam a uma quantidade preocupante de fan service. Não deveria ser nenhuma surpresa que Estou apaixonado pela vilã foi reduzido aos seus momentos mais baixos e, como resultado, passou despercebido. No entanto, Estou apaixonado pela vilã gradualmente revela um lado mais gratificante e em camadas de sua história. A protagonista do anime, Rae, é inquestionavelmente direta com sua paixão, Claire, e até começa a cruzar certos limites pessoais. Dito isto, Rae tem um limite e sabe quando parar de empurrar seus sentimentos para Claire, o que revela uma parte profunda de sua personagem.

Rae Taylor é mais do que uma idiota com olhos de coração

Relacionado

A representação de gênero do anime está melhorando, mas os temas LGTBQ deste programa careciam de sutileza

Para uma série que foi uma abordagem revolucionária do conceito de garota mágica, este anime não conseguiu representar plenamente as questões de gênero e LGBTQ + de forma satisfatória.

Sem nos aprofundarmos muito nos acontecimentos Estou apaixonado pela vilã, Rae revela ser uma pessoa incrivelmente atenciosa. No entanto, esse desenvolvimento empático é demonstrado ao longo do tempo. Não há confusão sobre o fato de Rae ter sentimentos por Claire, bem como algumas ideias bastante maduras sobre como ela gostaria que o relacionamento deles se desenvolvesse. A cada episódio que passa, Rae aperta os botões de Claire como uma forma de se aproximar dela. É uma tática arriscada que geralmente termina com uma confissão ou beijo forçado. Em vez disso, Rae adota uma atitude surpreendentemente saudável que revela uma reviravolta trágica sobre sua personagem, de outra forma boba.

Rae sabe bem como funciona esse universo isekai. Ela também sabe sobre a paixão de Claire por um dos protagonistas masculinos da série, o que provavelmente a torna heterossexual e romanticamente inatingível para Rae. Em vez de forçar Claire através de manipulações e truques astutos, Rae tem momentos em que mostra o quanto a amizade deles significa para ela e prova que é sua prioridade. Rae nunca empurra Claire além de seu nível de conforto. A única razão pela qual ela irrita Claire com tanta frequência é porque ela sabe que essa pode ser a extensão do relacionamento deles.

Um tipo raro de representação LGBTQ+

Relacionado

Por que animes românticos costumam apresentar protagonistas masculinos introvertidos

Hoje em dia, romances e comédias românticas costumam ser voltados para um garoto de anime introvertido, e não o contrário, mas por que isso ajuda a prender o público?

Geralmente é seguro presumir em qualquer história de romance que os dois personagens principais acabarão em um relacionamento, mas o que Estou apaixonado pela vilã O que faz diferente é focar nas duras verdades da sexualidade. O anime não foge do fato de Claire ser heterossexual e que isso normalmente significa que ela não estaria interessada em nenhum relacionamento com Rae fora da amizade. Rae aceita totalmente essa possibilidade, mesmo que seja uma verdade dolorosa para ela. Estou apaixonado pela vilã começa com tropos problemáticos em relação a personagens românticos agressivos, mas o anime evita essa armadilha através da capacidade de Rae de respeitar a escolha de Claire, em vez de dobrar a crença de que ela pode mudá-la. À medida que a série continua, Rae mostra-se cada vez menos paqueradora com o tempo.

É verdade que os fãs podem argumentar que este é apenas o começo de seu romance lento. No entanto, essa dinâmica desempenha um papel significativo na série e é uma forma rara de representar a comunidade LGBTQ+. Rae desenvolve sua amizade com Claire, mas há potencial para Claire se abrir para ideias nas quais ela nunca pensou antes, o que inclui sua sexualidade. Logo no início, Claire começa a aceitar Rae como igual, apesar de suas diferentes classes sociais e econômicas. É um grande passo para ambos os personagens serem capazes de simplesmente existir como amigos, especialmente para Claire, que foi treinada para desrespeitar os escalões inferiores da sociedade.

Claire se aproxima de Rae e as ideias de sexualidade, especificamente bissexualidade, são conceitos mais novos com os quais ela terá que lidar se o anime decidir prosseguir com um romance entre ela e Rae. Essa ideia de autodescoberta também tem um grande potencial e o fato de a série dedicar seu tempo a esse material, de forma saudável, é fundamental. É lamentável que Estou apaixonado pela vilã’ o enredo tem que abrir o caminho que abre, mas as cenas mais sérias e cuidadosamente tratadas são o que torna este anime especial.

A série Boys Love percorreu um longo caminho desde suas origens problemáticas e centradas em tropos, mas o gênero Girls Love ainda tem um longo caminho a percorrer. Estou apaixonado pela vilã tem momentos preocupantes, especialmente no início, mas revela progressivamente um tratamento cuidadoso de seus dois personagens principais. A capacidade de Rae e Claire de mostrar que se respeitam é um passo significativo antes do início de qualquer romance. Estou apaixonado pela vilã oferece uma história interessante e um sistema mágico divertido para fãs do gênero fantasia que normalmente não são atraídos por animes românticos. É mais provável que Estou apaixonado pela vilã se tornará um clássico cult e ressurgirá em popularidade mais tarde. Quer a popularidade da série aumente hoje ou daqui a alguns anos, há uma qualidade especial em Estou apaixonado pela vilã isso não pode ser negado.